quarta-feira, 15 de outubro de 2014

FONLAD - 10 ANOS EM PROMOÇÃO DA ARTE DIGITAL


O Festival Fonlad surgiu em 2005 como um projecto artístico. Este projecto vinha na linha de uma série de projectos de colaboração que venho desenvolvendo desde 2005 (dos quais Fonlad é precisamente o primeiro).
Outros projectos na mesma linha são as exposições temporárias do UAVM – Museu Virtual do Artista Desconhecido, 2008 <www.uavm.net>, o Fake Festival, 2011 a Non Bienalle, 2012/14 ou a Web Video Biennial, 2014.
Todos estes projectos assumem-se como Web Art Colaboration Projects, modelo que se identifica com as mais puras formas da arte digital; ou seja, são especificamente construídas para modelos digitais, nomeadamente para a internet, e fundamentam-se na participação de outros artistas na construção do projecto.
O Festival Fonlad na sua essência é um projecto artístico que assenta na colaboração entre artistas – que disponibilizam a sua obra a ser integrada no projecto – e entre festivais – que disponibilizam as obras dos seus artistas a integrarem o projecto.
Enquanto projecto artístico – construído em parceria com outros artistas – promove e divulga os trabalhos dos artistas participantes. Uma espécie de mosaico de monitores à Nam June Paik onde em cada monitor se apresenta uma obra diferente.
Neste contexto o trabalho do artista é o de uma espécie de mestre de orquestra, que faz tocar cada instrumento no momento preciso, compondo a obra global. O seu trabalho pode ser confundido com o de comissário, mas a substância é bem diferente, pois aquilo que se pretende obter não é um simples festival ou exposição, mas a construção partilhada de um projecto artístico. 
Durante as primeiras edições, o projecto foi construído essencialmente para a internet, com pequenos apontamentos fora dela: em 2005 uma mostra de vídeo num espaço em Madrid, em 2006, 2007 e 2008 uma exposição num espaço alternativo.
Em 2009 iniciam-se as colaborações com outros festivais. Aqui o nível de colaboração intensifica-se e cresce exponencialmente. Em certa medida perde a essência de obra de arte passando a assumir-se mais como festival que como obra de arte. O crescente nº de participantes leva à criação de uma equipa curatorial para seleccionar os trabalhos, envolvendo curadores de outros festivais parceiros.
A partir de 2009 multiplicam-se os eventos passando estes a ultrapassar em numero os realizados com a comunidade virtual. No entanto, em termos de participação de públicos, o virtual ultrapassa em mais de 90% o nº de públicos das mostras e das exposições.
Ou seja, apesar do aumento do numero de actividades no espaço público fora da internet, é precisamente neste meio que o festival continua a ter mais impacto, precisamente pela sua essência, que nunca abandonou, e na qual toda a sua estrutura e iniciativa é apoiada.
É precisamente a partir de 2009 que o festival passa a integrar outras áreas de intervenção, como residências artísticas, workshops, palestras e conferências, instalações, evoluindo para o modelo actual centrado na video arte e na performance.

 Fonlad #02, Fundação Bissaya Barreto, Coimbra

Fonlad #05, MIDAC, Belforte del Chienti, Itália
1 - 30 Agosto 2009

Fonlad #05 - Digital Landscapes, TMG, Guarda
 14 Nov. 2009 a 3 Jan. 2010

Fonlad #08 - Videomapping Coimbra 2012
 Circulo Cultura Portuguesa - Convento Stª Clara a nova, Coimbra
22 Junho 2012

Fonlad #10 - Essere Aria, Of. Municipal do Teatro
12 Julho 2014

Sem comentários:

Enviar um comentário