sábado, 26 de julho de 2014

ANARSCRIPTA, 1984


O projecto “Anarscripta” surgiu no início de 84 numa consequência do trabalho que vinha a desenvolver desde 82 e que assume neste projecto a sua fase mais evoluída (a “Fase de desenho a Preto e Branco”).
Em colaboração com um grupo de amigos, publicamos em fotocópia um conjunto de textos em torno de uma espécie de “Colectividade Absurda”, com edição de dois números e um nº zero de lançamento. A criação deste projecto corresponde definitivamente como a minha estreia no meio artístico guardense, num período que antecedeu a minha ida para Coimbra em 87.
O projecto “Anarscripta” teve o seu lançamento  em Abril 84, através da publicação de dois textos da minha autoria, embrulhados em papel de jornal (o nº zero – “Jornal-Eco”). Seguir-se-lhe-ia o nº 1 – “Colectividade Absurda”, em Junho 84, em duas edições, com textos da minha autoria, Carlos Adaixo, Maria Carreto, Luís Castro e Ana Paula Barreto. O projecto terminaria em Julho com a edição de um nº 2 – “Histórias de uma Retrete Bicentina” em Julho 84. Grande parte do grupo ausentar-se-ia da Guarda no ano seguinte pelo que o projecto não teve seguimento.
Visto à distancia de 30 anos, mais do que uma tentativa de afirmação artística de um colectivo, o “Anarscripta” foi para mim o apogeu de uma fase na qual a influência do desenho de cariz surrealista era evidente, na sua contestação social e inconformismo.


quinta-feira, 10 de julho de 2014

JORNADAS DE ARTE CONTEMPORÂNEA 93-96

As “Jornadas de Arte Contemporânea da Lousã” surgiram em 1993, organizadas numa parceria entre a Câmara da Lousã, o Museu Álvaro Viana de Lemos (que acolheu as exposições), as escolas da vila (que acolheram palestras e workshops) e a Biblioteca (exposições e palestras) que decorreram entre 1993 e 1996. Nas jornadas estiveram envolvidos mais 500 alunos, os quais participaram nas cerca de 30 actividades das Jornadas ao longo dos seus quatro anos de duração.
Nos dois primeiros anos o projecto centrou-se nas escolas Secundária e EB 2,3 que, apesar de procurarem corresponder ao programa e objectivos do projecto, não conseguiram dar resposta adequada à programação dos ateliers, palestras e visionamento de filmes. Dificuldades de organização e mobilização do público escolar fora do contexto de sala de aula, levou a organização do projecto a centrar-se no formato apenas expositivo, quer no Museu Álvaro Viana de Lemos, quer na Biblioteca, nos dois últimos anos em que as Jornadas se realizaram.


Destaques:

JACL 93

De Manet a Picasso / De Kandinsky a Pollock, palestra por José Vieira
Esc. Sec. da Lousã, 7 Junho 1993
 
Instalações, exposição com José Vieira, Quelhas Vieira, Inês Manta e Joaquim Silva
Museu Álvaro Viana de Lemos, 11 a 23 Junho 1993

JACL 94

Andy Warhol e o Mundo Contemporâneo, palestra performativa por José Vieira
Esc. Sec. da Lousã, 14 de Junho 1994


Paisagens Contemporâneas, de Quelhas Vieira, Inês Manta, Cristina Cortez
Museu Álvaro Viana de Lemos, 16 a 30 Junho 1994

Uma Paisagem na Serra, exposição concurso de alunos das escolas secundária e EB 2,3
Átrio da Biblioteca Municipal, 1 a 17 Julho 1994

Paisagens Serranas de José Vieira
Museu Álvaro Viana de Lemos, 1 a 17 Julho 1994

JACL 95

Exposição de pintura de alunos da ARCA-EUAC
Museu Álvaro Viana de Lemos, 16 Maio a 4 Junho 1995

Pinturas Informais, por alunos da Esc. Sec. Lousã
Esc. Sec. Lousã, 7 a 25 Junho 1995

Video Instalação, por alunos da Esc. Sec. Lousã
Esc. Sec. Lousã, 19 a 22 Junho 1995
 
JACL 96

1º Salão de Arte Juvenil, exposição de trabalhos de alunos das escolas EB 2,3 da Lousã, Esc. Sec. Lousã, Esc. C+S Miranda do Corvo, Esc. Sec. Montemor-o-Velho
Museu Álvaro Viana de Lemos, 17 a 31 Maio 1996

1ª Prof-Arte
Biblioteca Municipal da Lousã, 17 a 31 Maio 1996


Instalações, JACL 93

quarta-feira, 9 de julho de 2014

20 ANOS DE COMISSARIADO

Nesta data resolvi criar um blog, para memória futura, sobre os projectos que comissariei ao longos dos últimos 20 anos. Percorri uma longa estrada, desde esse primeiro projecto ao qual chamei "Jornadas de Arte Contemporânea" e que organizei na Lousã entre 1993 e 1996.
Este primeiro projecto - já algo distante na minha memória - ressurge-me agora com alguma nostalgia: tratou-se de um projecto que realizei em parceria com a Câmara da Lousã, e que tinha como objectivo principal o de dar a conhecer a arte contemporânea a uma região pouca habituada a ver arte e a visitar os seus espaços patrimoniais.
O projecto piloto partiu da Escola Secundária da Lousã, escola na qual eu havia sido colocado como professor de Educação Visual em 1992/93. Este primeiro projecto definiu o formato dos eventos futuros: exposições acompanhadas de workshops, performances e palestras.